Tudoem Ilhabela
Tudoem Ilhabela Tudoem Ilhabela Tudoem Ilhabela Tudoem Ilhabela Tudoem Ilhabela Tudoem Ilhabela Tudoem Ilhabela Tudoem Ilhabela Tudoem Ilhabela Tudoem Ilhabela
Close
Fechar
De norte ao sul da Ilha, veja ao vivo
Tudoem Ilhabela

Encerramento: “Talento para ser lento"

Fonte:

Espaço Cultural Pés no Chão recebe apresentação de encerramento do projeto “Talento para ser lento”

O Espaço Cultural Pés no Chão recebe neste domingo (5/11) às 19h, a apresentação de encerramento do projeto “Talento para Ser Lento”. A proposta, realizada pela artista multilinguagem Iris Fiorelli, a “Palhaça Carmela”, está sendo realizada desde o mês de outubro e contou com uma série de visitas lúdicas em espaços públicos que prestam atendimentos ao público idoso em Ilhabela, no intuito de levar arte e saúde aos idosos da cidade.

A artista Irís Fiorelli fará uma demonstração festiva dos resultados do processo realizado ao longo das visitas. A intervenção será aberta ao público e com a presença dos idosos que acompanharam os encontros. “No papel de mestra “sem cerimônias” eu me lanço e convido o querido público a brincar, a se divertir, a desfrutar o frescor e a sensação de salto ao vazio que o improviso propicia. Será uma apresentação cheia de memórias e delicadezas”, afirma a artista. 

O objetivo da apresentação final é abrir ao público todo o processo vivido nos encontros realizados, tendo como participantes especiais as mulheres que integram o grupo atendido no projeto Melhor Idade em Ação. Na ocasião, serão apresentados os relatos, as memórias e os devaneios que permeiam essas mulheres com mais de 70 anos.

“Elas serão o material da construção das cenas, numa sensível roupagem. Um olhar lúdico para a dor e as delícias de sermos o que somos e a possibilidade de recontar-nos e rir das nossas histórias. Uma grande brincadeira sem começo, meio ou fim, para celebrar o show da vida”, destacou Irís.

De acordo com Iris, a ideia de trabalhar com idosos partiu por sentir um encantamento por essa fase da vida. Além disso, segundo a artista, há poucas opções de produções culturais que têm essa faixa etária como público alvo e especialmente como artistas.

“Quando estamos em cena trazemos conosco toda nossa história. Nosso corpo projeta uma imagem no espaço e traz consigo uma série de símbolos. Acredito na potência desses corpos em cena. Desfruto do vigor, da abertura e do entusiasmo que muitas trazem e ao mesmo tempo observo a quantidade de casos de diabetes e hipertensão. Trabalhar em parceria com equipes médicas enriqueceu em muitos aspectos o “Talento para ser Lento”. Esse nome é uma grande brincadeira, um convite a rir de si mesma uma vez mais… coisa de palhaça! Será possível rir daquilo que nos afeta em cada momento das nossas vidas? Eu me sinto cada vez mais lenta, e nessa lentidão aprecio o meu percurso e sonho com novos projetos específicos sobre alimentação, a prática de atividades físicas e um olhar bem-humorado sobre nós e o nosso entorno, como geradores de saúde e de uma vida cheia de arte nas pequenas coisas. Vejo como urgente um olhar para nossos hábitos, que refletem diretamente a nossa saúde e a longevidade da humanidade e do nosso planeta”, finaliza a artista.

Iris Fiorelli é uma multiartista e, além da palhaçaria, também se dedica à dança e a yoga, alimentação saudável e à prática do contentamento. Com mais de duas décadas dedicadas às artes cênicas, a artista utiliza toda a sua experiência e gosto pela saúde nesse projeto que entende a arte como uma poderosa ferramenta de reflexão e transformação.

O projeto Talento Para Ser Lento foi um dos selecionados pelos editais da Lei Federal de Emergência Cultural, também conhecida como Lei Aldir Blanc, e está sendo financiado com recursos do Fundo Municipal de Cultura da Prefeitura de Ilhabela. “Os editais da Lei Aldir Blanc foram fundamentais para movimentar a cultura em Ilhabela, além do Talento Para Ser Lento, outros importantes projetos estão acontecendo na cidade. O setor cultural foi muito afetado pelos efeitos da pandemia e a parceria da prefeitura na publicação dos editais foi crucial para o setor”, comenta a produtora do projeto Débora Bergamini. 

A apresentação, que é gratuita e de classificação livre, conta com a participação especial dos músicos Kiko Cardial na percussão e Gonza Muru no acordeão. O projeto teve também a primorosa orientação artística de Mi Chan Tchung. Para garantir a segurança de todos, os lugares são limitados, por esse motivo é importante chegar cedo para não ficar de fora. 


Programe-se:

Encerramento do projeto “Talento para ser lento”

Domingo (5/12) às 18h, no Espaço Cultural Pés no Chão, que fica na rua Macapá, 72 – Barra Velha. Encerramento do projeto “Talento para ser lento”


Comentários

Voltar ao Topo